SinproSP

SinproSP está cobrando todas as escolas denunciadas por falta de reajuste ou PLR

Atualizada em 15/12/2021 15:41

No início de novembro, o SinproSP orientou os professores de educação básica a denunciarem as escolas que ainda não tinham pago as diferenças retroativas a março, referentes ao reajuste de 6,29% e a PLR de 11%.  Foram denunciadas 40 escolas. Uma a uma, todas estão sendo chamadas ao SinproSP para reuniões com diretoras e diretores do Sindicato, que fazem a cobrança dos valores devidos. 

As reuniões são presenciais, estão sendo realizadas desde o dia 07/12 e vão até o dia 21.  O SinproSP encaminha a ata da reunião aos professores da escola. Na mensagem, o Sindicato orienta a fazer nova denúncia caso a escola não cumpra com o compromisso assumido na reunião.

A partir de janeiro, quando o recesso do Poder Judiciário acabar, o SinproSP começará  a processar as escolas que ainda estiverem em dívida com os professores. As ações são coletivas e o Sindicato atua como substituto processual da categoria.

Mantenha contato sempre com o SinproSP

Por vezes, o SinproSP tem dificuldade de encontrar professores que mudaram de endereço ou de emprego, trocaram de celular ou de e-mail. Nas ações coletivas, isso é ruim para o professor que tem valores a receber, mas não estão sendo localizados. Por esse motivo, mantenha os seus dados sempre atualizados no SinproSP, para que possamos nos comunicar sempre que necessário.