Ensino superior

Professores da Oswaldo Cruz rejeitam proposta patronal para PLR atrasada

Atualizada em 29/09/2021 17:46

Reunidos e em assembleia na tarde de 28 de outubro, as professoras e os professores das Faculdades Oswaldo Cruz não aceitaram a nova proposta da mantenedora para o pagamento do abono especial/PLR. Ainda no encontro, realizado de maneira remota, os participantes sugeriram uma contraproposta para ser apresentada à instituição.  

Como a FOC não pagou a primeira parcela do abono, que deveria ter sido creditado em 6 de julho, o SinproSP convocou a Oswaldo Cruz ao Foro de Conciliação de Conflitos Coletivos. A instituição, então, propôs parcelar a totalidade da PLR em 12 vezes. Em assembleia, no dia 2 de setembro, os docentes rejeitaram o acordo.

Já a nova proposta da faculdade previa o pagamento do valor integral do abono dividido em 8 parcelas mensais – corrigidas pela Selic-, sendo a primeira paga em até 10 dias e as demais, a partir de outubro, sempre no dia 22 de cada mês. Os professores não concordaram com o número de meses do parcelamento e, por sua vez, sugeriram pagamento do benefício em três parcelas iguais, em 22 de outubro, 22 de novembro e 22 de dezembro.

O SinproSP encaminhou à Oswaldo Cruz a contraproposta dos docentes e agora aguarda o retorno da instituição.

Abono especial

O abono salarial ou participação nos lucros ou resultados (PLR) previsto na Convenção Coletiva é de 50% de um salário, pagos em duas vezes. O prazo final para quitação da segunda parcela é 15 de outubro. Veja aqui como o abono deve ser calculado e quem tem direito a receber