Trabalho

Colégio Palmares atrasa salários e demite funcionários

Atualizada em 20/08/2021 21:54

Professores e demais trabalhadores do Colégio Palmares estão enfrentando problemas trabalhistas sérios. A escola atrasou os salários de maio e julho. Os de maio foram pagos em parcelas. Até 20 de agosto alguns professores ainda não tinham recebidos o salário de julho.

Agora, neste semana, a escola demitiu trabalhadores não docentes e ainda fez ameaças. Segundo informações recebidas pelo SinproSP, a direção avisou que as verbas rescisórias não seriam pagas e que poderia recontratar os trabalhadores como PJ, com salários mais baixos.

O SinproSP está em contato permanente com os professores e colocou o departamento jurídico à disposição. Foram realizadas duas reuniões com todo o corpo docente para discutir o problema e encontrar alternativas para uma rápida solução.

O Sindicato também procurou a direção do Palmares e exigiu o pagamento imediato dos salários e o respeito aos direitos trabalhistas de todos os trabalhadores, professores ou não. Uma reunião com representantes da escola estava prevista para terça-feira, 24, mas foi cancelada pelo SinproSP diante do descumprimento dos compromissos assumidos pela diretoria do colégio. A escola será denunciada junto ao Ministério Público do Trabalho.

Palmares foi comprado por grupo de investimento

Uma das principais escolas de educação básica de São Paulo, o Palmares foi comprado pelo LIT Capital Group, que também adquiriu, na mesma época, a Escola Equilíbrio, outra instituição bastante respeitada por seu projeto pedagógico. O negócio, anunciado em novembro de 2020, envolveu o valor de R$ 150 milhões apenas no primeiro ano, entre custos da aquisição e investimentos.

Nas redes: