Ensino superior

Limite de alunos em aulas presenciais no ensino superior acaba dia 17 de agosto

Atualizada em 29/07/2021 17:03

Em entrevista coletiva na quarta-feira, dia 28, o governador João Doria anunciou nova flexibilização do Plano São Paulo para o setor de serviços e, consequentemente, para as aulas presenciais no ensino superior. A partir de 1º de agosto, o limite aumenta de 60% para 80% e, após o dia 17, a ocupação total está liberada.

A mudança no limite dentro das salas de aula deve-se ao Decreto 65.849, de 6 de julho, segundo o qual as instituições de ensino superior podenm adotar as mesmas regras de ocupação estabelecidas para os estabelecimentos comerciais.

Apesar da liberação geral, parte das instituições devem manter as aulas teóricas em sistema remoto e as aulas práticas no presencial. Cursos na área de saúde já estavam autorizados a funcionar totalmente em regime presencial.

Protocolos são insuficientes
Na mesma coletiva de imprensa o coordenador do centro de contingência do coronavírus, Paulo Menezes, explicou que a população na faixa de 20 a 29 anos corresponde a 18% dos casos de covid-19 no estado, já para os adultos entre 30 e 50 anos essa taxa pula para 43%. Por isso, Menezes reforça a necessidade de seguir os protocolos sanitários e distanciamento social.

Contudo, o que se viu até agora são protocolos ineficazes, especialmente quando há casos de contaminação no espaço físico das instituições. Além disso, não há fiscalização das autoridades públicas, municipais e estaduais.

O SinproSP continua insistindo na necessidade de disciplinar o retorno às aulas presenciais em todos os níveis de ensino. Isso significa que a liberação das aulas presenciais deva estar condicionada a protocolos rigorosos, com testagem e rastreamento, e à fiscalização verdadeira do poder público. 

Na imprensa:

SPTV 1 - Retorno presencial às aulas no Superior