Geral

Assembleia dos professores do Mackenzie define ações à reorganização curricular

Atualizada em 04/12/2017 21:34

Professores da Universidade Presbiteriana Mackenzie estiveram reunidos em assembleia no SinproSP, dia 02/12, para discutir a reestruturação curricular prevista para 2018. No mesmo dia também foram realizadas assembleias nos sindicatos dos professores de Campinas e Osasco.

A assembleia foi convocada depois de o Mackenzie ter confirmado a redução da grade horária de 6 para 5 aulas diárias, por turno, a partir de 2018. A duração da aula aumentará de 45 para 50 minutos. O SinproSP defende uma negociação, coletiva pois a mudança provocará diminuição da carga horária dos professores e até demissão.

Na assembleia, o ambiente foi de muita preocupação. Houve críticas à condução do Mackenzie, que tem divulgado informações desencontradas e criado um ambiente de muita insegurança entre os professores.

Por unanimidade, os professores autorizaram o SinproSP a chamar o Mackenzie para nova reunião, até 12/12, com a participação também do sindicato patronal, o Semesp. Entre os assuntos, redução de carga horária dos aulistas (PPA), bolsa de estudo e plano de saúde para os professores em caso de demissão ou alteração no número de aulas e realinhamento salarial decorrente da mudança na duração da hora-aula.

Além disso, os Sinpros São Paulo, Osasco e Campinas, assim como a Fepesp (Federação dos Professores) irão acionar as Comissões de Trabalho e de Educação da Câmara dos Deputados, o Ministério da Educação e o Conselho Nacional de Educação para alertar sobre o impacto dessas mudanças na qualidade de ensino e nas condições de trabalho docente.

Neste momento, é muito importante assegurar negociações que possam resolver o problema coletivamente, para todos os professores.

Por isso, ninguém deve assinar documento sobre redução de carga horária e deve seguir as orientações do Sindicato. Veja abaixo:

Atenção, professores do Mackenzie!

1. Não negociem individualmente.

2. Não assinem documento algum sem a orientação do Sindicato.

3. Não forneçam informações ou dados sobre a vida profissional e pessoal – CNIS ou qualquer outro.

4. Denunciem ao Sindicato qualquer tentativa de coação ou de constrangimento.

5. Em caso de dúvida, escrevam para mack@sinprosp.org.br ou procurem um dos diretores que lecionam no Mackenzie.

6. Na hipótese de demissão entrem em contato imediatamente com o Sindicato.


Carta do SinproSP enviada aos professores por email em 04/12


Saiba mais:

Professores da Universidade Mackenzie têm assembleia dia 02/12 (17/11/2017)

Carta aos professores da Universidade Mackenzie (13/11/2017)

Mackenzie é convocado para explicar reestruturação curricular (01/11/2017)