Geral

Professores da UnisantAnna e da FMU mantém a luta em defesa de seus direitos

Atualizada em 04/08/2017 00:53

A semana começou com assembleias dos professores da Unisant′Anna (1o) e da FMU (02). Embora com problemas e reivindicações diferentes, os dois grupos mostraram algo em comum: a disposição de manter a luta.

Unisant′Anna

Os professores da Unisant′Anna entraram em greve por tempo indeterminado, reivindicando o pagamento dos salários de maio e junho e das férias de julho. O SinproSP ingressou com dissídio coletivo de greve no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), exigindo o pagamento imediato da dívida.

Sem salários desde maio, professores da UniSant’Anna entram em greve

FMU

Na FMU, os professores aceitaram parcialmente proposta do TRT e vão permanecer em ′estado de greve′ nos próximas dias, durante as negociações. O SinproSP quer a manutenção dos salários pela carga horária do semestre anterior, ou seja, sem a redução.

Em estado de greve, professores da FMU aguardam por novas negociações