Geral

Mudanças na reforma da Previdência pode incluir aposentadoria dos professores

Atualizada em 07/04/2017 02:24

O relator da proposta de emenda constitucional (PEC) da Previdência, deputado Arthur Maia, informou (06/04) que vai propor mudanças no texto atual. Uma delas seria na aposentadoria dos professores de educação básica. Ele não detalhou as alterações.

Esse aparente recuo foi resultado da pressão feita desde que a PEC começou a tramitar, em dezembro de 2016. Na comissão que analisa a proposta, a aposentadoria dos professores foi campeã em emendas que alteram o texto defendido pelo governo. Levantamento do SinproSP revelou a existência de 23 emendas que podem ser aprovadas na Comissão.

O SinproSP conseguiu provar aos deputados que a proposta do governo representava um acréscimo de até 400% no tempo de contribuição dos professores e que, dada a composição etária da categoria, a maior parte estava excluída das regras de transição. Leia em Professoras da educação básica vão trabalhar 400% a mais para se aposentar , divulgado no início dos trabalhos parlamentares, em fevereiro.

É claro também que ao propor mudanças pontuais em 5 questões, o governo tenta dividir a sociedade e reduzir o enorme grau de rejeição da reforma. Mas essa estratégia não vai dar certo.

PEC 287 tem que ser integralmente rejeitada

Ninguém deve se animar com a possibilidade de uma mudança que não se conhece, nem se tem certeza de que ocorrerá. Por enquanto, o que existe de concreto é uma reforma que retira direitos e inviabiliza a aposentadoria para a maior parte dos segurados.

Por isso, o lugar dos professores é junto com todas as categorias profissionais na luta pela rejeição da PEC 287.