Coronavírus

Tem escola assediando professores durante as férias. Veja quais são

Atualizada em 09/04/2020 16:00

Lista atualizada em 15/04/2020, às 17h02

O SinproSP foi contra a antecipação de férias coletivas adotada por algumas escolas. Contudo, uma vez  concedidas as férias, é óbvio que nenhum professor pode ser chamado a trabalhar na escola, presencialmente e nem a distância. Também não deve ser incomodado com mensagens de whatsapp, email ou qualquer outro tipo.

Orientação tão elementar foi dada pelo  Sindicato no dia 30/03, um dia antes do período de férias sugerido pelo sindicato patronal, o Sieeesp. O SinproSP alertou no seu boletim e no site, divulgou nas redes sociais (veja imagem) e mandou mensagem por whatsapp aos professores. Ainda assim, tem coordenação e direção de escola que continuam abusando, mesmo depois de notificadas pelo Sindicato.

O Sindicato orienta os professores a printarem todas as mensagens e materiais recebidos ou enviados à escola e também fazer o registro de eventuais ligações recebidas . A empresa poderá ser acusada de assédio e também ser condenada a pagar hora extra pelo trabalho exigido. 

Em algumas denúncias recebidas, os professores não colocaram o nome das escolas e por isso, o SinproSP não teve como agir. Nos demais casos, as escolas foram notificadas. São elas: