Dissídio Coletivo

Na educação básica, hora de pegar holerites e fazer as contas

Atualizada em 27/02/2020 16:51

O Dissídio Coletivo das professoras e professores da educação básica, julgado em 19 de fevereiro, determinou o reajuste para os anos de 2019 e 2020.

Agora é hora de organizar todos os holerites para calcular os novos salários e as diferenças retroativas, que deverão ser pagas em até sessenta dias, inclusive para quem trabalhou em 2019, mas já saiu do emprego. Por orientação do sindicato patronal, algumas escolas já anteciparam os 3,90%. Mesmo para quem já recebeu, é preciso prestar atenção ao mês em que a antecipação começou a ser paga e, assim, confirmar,  se ainda há um resíduo para ser quitado.

 

Salários devidos de março/2019 a fevereiro/2020

 

março/2019 = fev/2019*  X  1,039  

*O SinproSP recomenda usar como base de cálculo o holerite de fevereiro/2019 e não o de março/2018, pois neste ano, o reajuste foi definido tardiamente.

 

Salários a partir de março/2020

 

março/2020 = mar/2019 (1)  X ( inflação (2) e aumento real de 1,5%)

(1) Usar como base de cálculo o salário de março/2019 já reajustado de acordo com o dissídio coletivo.

(2) Inflação acumulada de março/2019 a fevereiro/2020, calculada pela média entre ICV-Dieese, INPC-Ibge e IPC-Fipe. O índice deve ser conhecido a partir de 11/03, depois de divulgados todos os indicadores.