Ensino superior

SinproSP reafirma denúncias contra Centro Universitário Sumaré

Atualizada em 13/02/2020 16:34

Em sessão do Foro Conciliatório de Solução de Conflitos Coletivos, realizada dia 13/02, o SinproSP formalizou as denúncias contra o Centro Universitário Sumaré sobre redução de carga horária e mudança do período de férias e recesso.

Por meio de sua representante, a Mantenedora do C.U. Sumaré negou as acusações. O SinproSP exigiu documentos comprobatórios e uma nova reunião foi marcada para o dia 05 de março.

No momento, é fundamental que ninguém assine nenhum documento de redução de aulas, muito menos com data retroativa.  

É muito importante que as professoras e professores entrem em contato com o SinproSP para enviar informações, denúncias e receber orientações através do email:  sumare@sinprosp.org.br. O sigilo é totalmente garantido.

Entenda o caso

Quando os professores retornaram às atividades letivas, no dia 03/02, a Sumaré propôs que eles assinassem carta de redução de carga horária com data retroativa a 24 de dezembro. Além disso, os docentes foram surpreendidos com a notícia de que as férias seriam concedidas entre os dias 09 e 29 de fevereiro e que as aulas teriam início apenas em março.

Ainda segundo as denúncias recebidas, a IES teria substituído aulas presenciais por ensino a distância, fazendo uso da Portaria 2177. Publicada em 06 de dezembro de 2019, a Portaria do MEC aumentou de 20% para 40% a oferta de ensino a distância nos cursos presenciais, mas a mudança deveria ser informada aos alunos já matriculados no período letivo anterior à alteração curricular.