Ensino superior

Professores da Uninove não devem assinar nenhum documento sobre redução de aulas

Atualizada em 06/02/2020 12:58

Em sessão do Foro Conciliatório para Solução de Conflitos Coletivos ocorrida dia 06 de fevereiro, a Uninove comprometeu-se a não coagir os professores para que aceitem proposta de redução de carga horária.  Por isso, é importante que o professor não assine nenhum documento sobre o número de aulas até que o SinproSP informe a conclusão do conflito.

A reunião foi convocada pelo SinproSP depois das denúncias de professores, sobre o anúncio de  mudança de carga horária no efetuada após os professores da instituição denunciarem a mudança ao SinproSP. A mantenedora declarou ainda que está desenvolvendo mecanismos para complementação da carga horária, uma vez que a alteração de 4 para 3 aulas por turno, afeta não só a jornada de trabalho como o salário dos professores.

Já está marcada nova reunião para 05 de março às 11h30, ocasião em que a instituição apresentará o quadro completo de reeestruturação.

O Sindicato criou um email específico para receber denúncias e orientar os professores. Basta escrever para uninove@sinprosp.org.br. O sigilo é totalmente garantido.

Entenda o caso 

Ao retornarem do recesso, os professores foram surpreendidos pela notícia de que o número de aulas diárias seriam reduzidas. Não haveria redução da carga horária dos professores, mas a mudança obrigaria muitos deles a trabalharem em mais dias ou se deslocarem para outras unidades para conseguir cumprir o mesmo número de aulas.

Desde o final do ano passado, o SinproSP tem orientado sobre redução de carga horária, lembrando que nenhum professor é obrigado a aceitar mudanças. No caso em questão, a redução pode trazer prejuízos aos professores e por isso o SinproSP recomenda que não se assine nenhum documento.