Dissídio Coletivo

Ação de dissídio coletivo da Ed. Básica tem novo relator

Atualizada em 30/10/2019 16:18

O desembargador sorteado para ser o relator do processo de dissídio coletivo das professoras e dos professores de Educação Básica, Carlos Roberto Husek, deixou a Seção de Dissídios Coletivos do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª região. Assim, todas as ações anteriormente sob sua responsabilidade, inclusive a do SinproSP, estão sendo encaminhadas ao juiz Luis Augusto Federeghi.

Será preciso, agora, aguardar o parecer do novo relator do caso para a inclusão do processo na pauta de julgamentos. Como tem feito desde o início, o SinproSP divulgará no site e nas redes sociais assim que algum fato novo ocorrer.

O papel do relator e o julgamento do processo

Cabe ao relator examinar todo o processo e emitir seu voto. Divulgado o seu parecer, ele será encaminhado ao revisor do processo, que é outro desembargador. Somente quando o parecer for devolvido pelo juiz revisor, é que relator poderá pedir a inclusão do processo na pauta de julgamento.