Geral

Órgão do INEP responsável pelo Enem será chefiado por general de reserva

Atualizada em 23/08/2019 14:02

A Diretoria de Avaliação da Educação Básica (Daeb) do Inep, responsável pela aplicação do Enem e do Saeb, entre outas avaliações, permaneceu sem titular durante cinco dos oito meses do governo Bolsonaro. Só agora, a dois meses das provas, o MEC escolheu o novo responsável: é o general da reserva Carlos Roberto Pinto de Souza, apesar de a Diretoria ser um órgão técnico, que necessitaria de profissionais especializados em Educação.

A vacância da Diretoria foi revelada em reportagem de Paulo Saldaña, publicada no jornal Folha de S. Paulo, em 10 de agosto. Desde que o novo governo assumiu, houve troca de quatro diretores . Outras duas diretorias do INEP – Avaliação do Ensino Superior e Estudos Educacionais - também estão sem titulares. O próprio INEP teve quatro presidentes desde janeiro.

Esse esvaziamento dos órgãos pode ser resultado da disputa no MEC que ocorre desde o inicio do governo,opondo militares e grupos ligados a Olavo de Carvalho. Mostra também a dificuldade de encontrar quadros técnicos bastante especializados, afinados ao grupo ultraconservador que assumiu o controle da Educação e de outras duas pastas: Relações Exteriores e Mulher, Família e Direitos Humanos.

É importante destacar o papel destes três ministérios no governo Bolsonaro. Eles são estratégicos para a sustentação e o fortalecimento da pauta de costumes que o governo quer impor para a sociedade.

Não por acaso, os titulares das três pastas - Damares, Weintraub e Ernesto Araújo - têm em comum o potencial belicoso e provocador de seus discursos e ações. Integram esse repertório a defesa do Escola Sem Partido,o ataque à produção científica no país, a intolerância contra o que se considera “ideologia de gênero” e o perigoso aparelhamento da Diplomacia brasileira.

O que está acontecendo no INEP revela o desmonte e a política de terra arrasada deliberadamente adotada pelo governo Bolsonaro.