Geral

Sindicato patronal apresenta contraproposta

Atualizada em 26/02/2019 17:26

O Sieeesp, sindicato das escolas de educação básica, apresentou duas contrapropostas para a renovação da Convenção Coletiva: uma válida por um ano e outra, válida por dois anos, esta última com mudanças no recesso e na garantia semestral de salários, duas cláusulas fundamentais para a categoria.

As duas propostas, contudo, estão condicionadas à aprovação de assembleia patronal, que só vai acontecer no dia 21 de março, o que, no entender da comissão que negocia pelos professores, representa um cheque em branco aos patrões.

No documento encaminhado ao presidente da Federação dos Professores do Estado de São Paulo, o Sieeesp menciona a conjuntura socioeconômica e eventuais alterações que poderiam ocorrer na reforma trabalhista para justificar suas propostas e a recusa das reivindicações apresentadas pelos professores.

De qualquer maneira, as propostas serão discutidas pelos professores na assembleia com falta abonada no dia 28/02, às 10h, no SinproSP. A participação de toda a categoria é muito importante.

AS PROPOSTAS PATRONAIS:

1.Convenção Coletiva por um ano: manutenção de todas as cláusulas; reajuste pela inflação (média do ICV-Dieese, INPC-Ibge e IPC-Fipe de março/2018 e fevereiro/2019) e Participação nos Lucros de 12%.

2.Convenção Coletiva por dois anos: manutenção da Convenção em 2019. A partir de 2020, redução do recesso de trinta para vinte dias e aumento da carência da garantia semestral de salários de 22 para 36 meses. Quanto aos salários, reajuste pela inflação em 2019 e reposição inflacionária acrescida de 1% como aumento real, com Participação nos Lucros de 12%.

A inflação é medida pela média do ICV-Dieese, INPC-Ibge e IPC-Fipe de março de um ano a fevereiro do ano seguinte.