11/06/2018 17h19

Dias de paralisação: escola tem que pagar se os professores quiserem repor


As escolas só poderão descontar os dias de paralisação – 23 e 29 de junho – se os professores se recusarem à reposição. Como consta da ata da audiência realizada no Tribunal Regional do Trabalho, dia 05 de junho, “as escolas não efetuarão desconto dos dias parados aos professores que se comprometerem a fazer a respectiva reposição.“

Ao integrar o acordo celebrado no Tribunal Regional de Trabalho, o desconto dos dias parados deixa de ser uma decisão das escolas. Assim, se os professores se prontificarem a repor a atividade, não haverá corte dos salários. A direção da escola até pode optar por não marcar a reposição, mas terá que pagar os dias parados.

todas as notícias
|22.02.19 - Edital da Assembleia de 28 de fevereiro de 2019
|22.02.19 - Reforma da Previdência já está na Comissão de Justiça
|22.02.19 - Nova Previdência dificulta acesso e pode aumentar pobreza, diz economista
|22.02.19 - Previdência de Bolsonaro produzirá massa miserável, avalia economista
|22.02.19 - Aposentado que trabalha perderá direito a FGTS e multa de 40% se demitido

Ranking de salários
Logo Twitter Logo SoundCloud Logo YouTube Logo Facebook
Plano de saúde para professores
Cadastre-se e fique por dentro de tudo o que acontece no SINPRO-SP.
 
Sindicato dos Professores de São Paulo
Rua Borges Lagoa, 208, Vila Clementino, São Paulo, SP – CEP 04038-000
Tel.: (11) 5080-5988 - Fax: (11) 5080-5985
Websindical - Sistema de recolhimentos
Baixe o APP na Google Play Baixe o APP na Apple Store